Arquipélago da Madeira

Destino exibe suas raízes em patrimônios históricos e monumentos fascinantes. // Famoso por ser um dos mais belos do mundo, o Arquipélago da Madeira é repleto ...

Bienal de Design

12ª Bienal Brasileira de DESIGN GRÁFICOMostra comemora 25 anos e, pela primeira vez, será realizada em Brasília

Suíça, de trem

Um passeio imperdível pela Suíça com o Grand Train Tour

Publicado em Crônicas Di-Versos
Lido 546 vezes
Avalie este item
(0 votos)

O casal recebeu o amigo nas férias. Na primeira noite, depois do jantare das conversas foram dormir. Todos, menos a Esposa curiosa que tinha o hábito de espiar no buraco da fechadura.

 

Ela foi para a porta do quarto do Amigo, se abaixou, colou o olho
no buraquinho e... Nada. O moço tinha o hábito de pendurar a camisa na
maçaneta da porta. Mais curiosa, ela procurou algo que servisse para tirar
aquele muro que censurava a cena que queria assistir.

Na segunda noite, a indiscreta esperou ansiosa que o Marido dormisse
e foi para a porta do quarto do amigo, se abaixou, enfiou o pauzinho
(ou era um grampinho?) na fechadura e conseguiu tirar a camisa da frente
dos seus olhos aflitos.

Finalmente, quando achou que veria o que tanto desejava, viu o que
não esperava. Ele estava sob um edredom, bem enroladinho. Oh, não!

Incansável e cheia de fantasias ela bolou um plano. No jantar, na noite
seguinte, abriu muitas garrafas de vinho para brindarem o reencontro, o
tempo de boas aventuras e das farras na universidade mineira.

Depois, repetiu a dose das madrugadas anteriores. Foi de mansinho
para a porta do quarto do rapaz, usou o tal pauzinho, ou grampinho, para
tirar a camisa da frente, e excitada esperava ver tudinho dessa vez. Quando
focou o olhar, mais uma vez decepção... Ele estava de cueca e de bruços.
Oh, não, de novo!

Mas dessa vez, uma surpresa. Quando tocou o trinco, a porta não estava
trancada, abriu. E agora? Ousar chegar mais perto para conferir? Será
que o Amigo vai acordar? Em câmera lenta, feito uma gata se aproxima.

Um susto, ele se mexe. Fica de barriga para cima, a montanha aparece.
É bem dotado, repara. Imagina e deseja. Arrisca, ou não? Quer tocá-lo.

O que você faria se fosse ela? E se você fosse ele?

 

Moral da história: quem pensa, não faz. Fantasia.

 

*Esta história faz parte do livro "Era Uma Vez....... Outra Vez....... mais uma vez .......e  mais outra.......", de Nádia Timm.

Última modificação em Quinta, 25 Fevereiro 2016 22:55

Mais lidos

Ecoturismo

16 Out 2015 Turismo

Na Ponta do Nariz

06 Jun 2016 Artemania

Capoeira

04 Set 2016 Isto é Brasil

Cartas de Caio

22 Dez 2016 Livros

Cara-de-Bronze

05 Jun 2016 Programação em Goiânia

Acompanhe no Facebook

Online

Temos 51 visitantes

Add to Flipboard Magazine.