Arquipélago da Madeira

Destino exibe suas raízes em patrimônios históricos e monumentos fascinantes. // Famoso por ser um dos mais belos do mundo, o Arquipélago da Madeira é repleto ...

Suíça, de trem

Um passeio imperdível pela Suíça com o Grand Train Tour

Lan Lanh

Lan Lanh sobe aos palcos do Teatro Glaucio Gill, no Rio de Janeiro, para apresentar o show "Batuque da Lan Lanh" nos dias 2, 3, 4, 5, 9, 10, 11 e 12 de junho. O...

Publicado em Crônicas Di-Versos
Lido 646 vezes
Avalie este item
(0 votos)

Aprendi a amar assim: do olhar à carícia,

do beijo ao mergulho

Assim, por aproximações sucessivas,

descobri a poesia


o verso esparramando luzes pelo dia

abraça coisas da casa e da rua

desliza em aviões que atravessam a tarde

lambe pedras

mineraliza-se no jardim pequeno

a palavra tem gosto e calor

transforma o tempo

expande a hora, um gozo a transbordar

nas canções

e crescer

céu no rio Tocantins ou no Amazonas

 

azula infinitamente

 

meu desejo de dançar

e planar

sobre Brasília

o verso vira silêncio nos neons dos shoppings

ruído de floresta escura

risada dos meninos no videogame

ou igarapés

 

Pisca piscando

Longe

as estrelas e a Lua

brilhante com seu dragão tatuado

tão moderninha

No paradoxo de ser ancestral

Atrai marés

As águas sobem

 

namorados

derramam beijos

Úmidos toques

Os dedos dos apaixonados

E dos rebeldes

Tocam com fúria e prazer minha solidão

 

Assim, do desespero

e do deserto

O amor chega

 

E nasce um poema.

 

Este poema faz parte do livro Poesia Disponível para Aventuras, de Nádia Timm.
Última modificação em Terça, 27 Janeiro 2015 07:23
Mais nesta categoria: 4 Haicais »

Mais lidos

Ecoturismo

16 Out 2015 Turismo

Na Ponta do Nariz

06 Jun 2016 Artemania

Capoeira

04 Set 2016 Isto é Brasil

Cartas de Caio

22 Dez 2016 Livros

Cara-de-Bronze

05 Jun 2016 Programação em Goiânia

Acompanhe no Facebook

Online

Temos 26 visitantes

Add to Flipboard Magazine.