Arquipélago da Madeira

Destino exibe suas raízes em patrimônios históricos e monumentos fascinantes. // Famoso por ser um dos mais belos do mundo, o Arquipélago da Madeira é repleto ...

Bienal de Design

12ª Bienal Brasileira de DESIGN GRÁFICOMostra comemora 25 anos e, pela primeira vez, será realizada em Brasília

Suíça, de trem

Um passeio imperdível pela Suíça com o Grand Train Tour

Pilgrimage. Direção: Marlene Millar. Pilgrimage. Direção: Marlene Millar. divulgação
Lido 1061 vezes
Avalie este item
(1 Voto)

A  Praça do Sol, em Goiânia, recebe mostra de videodança, dando continuidade à segunda fase do D’Olhar – Festival Itinerante de Dança e Vídeo

Neste sábado (17 de junho) a segunda etapa do D’Olhar – Festival Itinerante de Dança e Vídeo chega à Praça do Sol, no Setor Oeste, às 18h30. O projeto consiste em sessões com exibição de filmes de videodança ao ar livre, gratuitamente, em seis parques de diferentes regiões da Grande Goiânia.

Os filmes exibidos nessa fase de itinerância do festival são uma amostra do que foi exibido na primeira fase do festival, realizada de 26 a 30 de abril no Centro Cultural UFG.

Até agora já foram contemplados pelo projeto os parques Vaca Brava (13/05), Parque Sabiá (27/05), Parque Beija Flor (03/06) e Parque Flamboyant (10 de junho).

A cada sessão, com cerca de 90 minutos de duração, são exibidos de seis a 12 filmes, provenientes de diversos países, além de produções brasileiras, entre elas vídeos goianos.

As projeções, com som e imagem de qualidade impecáveis, são realizadas num telão -- sempre a partir das 18h30.

“A escolha do dia, os horários das sessões e a opção pelos parques e praças foi feita levando em conta a beleza desses espaços públicos na cidade, que se tornaram pontos de encontro das famílias, incluindo jovens, crianças e idosos, de várias classes sociais.

É o ambiente de lazer saudável e democrático da Grande Goiânia”, explica Lívia Batista de Sá, idealizadora do Festival D’Olhar.

Essa fase de itinerância pelos nossos parques e praças, explica a produtora cultural, é uma ideia que faz parte do festival desde sua concepção.

 

Juana and the Sacred Shores, Filipinas

 

“O D’Olhar foi criado para divulgar e fomentar a videodança não apenas para os profissionais e artistas do audiovisual e da dança, mas também para aproximar a videodança e o documentário de dança do grande público, principalmente das pessoas que ainda não costumam frequentar os espaços convencionalmente dedicados às artes em geral e, em particular a dança e sua junção ao audiovisual”, ressalta Lívia Batista.

Além disso, continua a produtora, o festival é uma iniciativa para desmistificar preconceitos sobre o que é ou não acessível para o público em geral na hora de apreciar uma produção cultural, no caso a videodança.

“Na programação temos vídeos, todos eles de curta duração, com ampla possibilidade de dialogar com o público comum, que nunca viu nenhum vídeo desse tipo, pois a dança é uma linguagem universal, e sua junção com a linguagem do cinema cria infinitas possibilidades de comunicação com a plateia”, destaca Lívia.

Ela lembra que entre os vídeos selecionados há obras que “instigam, encantam, emocionam, fazem rir, pensar”. “Muitos desses vídeos, inclusive, têm como cenário espaços abertos, seja na cidade ou na natureza, algo que o público pode se reconhecer também”, diz Lívia.

A diretora destaca que a exibição de parte da programação do festival nos parques e praças públicas da Grande Goiânia é a melhor forma de devolver para a cidade o investimento via leis de incentivo que estão possibilitando a realização deste sonho. O projeto D’olhar – Festival Itinerante de Dança e Vídeo tem incentivo do Fundo de Arte e Cultura de Goiás e é realizado pela Mova-se Projetos Culturais.

 


D´OLHAR ITINERANTE

5ª CIRCULAÇÃO – PRAÇA DO SOL
Goiânia - Goiás - Brasil

Programação:

Besties – 6min, 2016| Estados Unidos
Direção coreografia: Marta Renzi

Songs of the Underworld – 5min, 2016|Holanda
Direção e coreógrafia: Nicola Hepp

Beings of nature – 7min, 2016|Espanha
Direção: Cristina Barriguete e Joaquín Murad
Coreógrafo: Itsaso A. Cano

Moving Color – 4min, 2016|Brasil
Direção: Carol Beiriz
Coreógrafos: Edney D Conti e Gaby Haviaras

All About You – 3min, 2017| Canadá
Direção:Allison Beda
Coreógrafa Tara Cheenne Friedenberg

Sede – 3min, 2017|Brasil
Direção: Gerson Cardoso
Coreógrafo: Davi Bezerra

Rio das Almas – 7min, 2017|Brasil
Direção: Thaynara Rezende
Coreógrafa: Taize Inácia

Juana and the Sacred Shores – 18min, 2016|Filipinas
Direção Antonne Santiago
Coreógrafa: Aisha Polestico

Sensate –10min, 2016|Inglaterra
Direção e coreografia: Jo Cork

Pilgrimage – 10min, 2017|Canadá
Direção: Marlene Millar.

 

Total: 1HORA E 13 MINUTOS

Assessoria de Imprensa: jornalista Rute Guedes

 

Última modificação em Sexta, 16 Junho 2017 21:19
Mais nesta categoria: Barbatuques »

Mais lidos

Ecoturismo

16 Out 2015 Turismo

Na Ponta do Nariz

06 Jun 2016 Artemania

Capoeira

04 Set 2016 Isto é Brasil

Cartas de Caio

22 Dez 2016 Livros

Cara-de-Bronze

05 Jun 2016 Programação em Goiânia

Acompanhe no Facebook

Online

Temos 53 visitantes

Add to Flipboard Magazine.