Arquipélago da Madeira

Destino exibe suas raízes em patrimônios históricos e monumentos fascinantes. // Famoso por ser um dos mais belos do mundo, o Arquipélago da Madeira é repleto ...

Suíça, de trem

Um passeio imperdível pela Suíça com o Grand Train Tour

Lan Lanh

Lan Lanh sobe aos palcos do Teatro Glaucio Gill, no Rio de Janeiro, para apresentar o show "Batuque da Lan Lanh" nos dias 2, 3, 4, 5, 9, 10, 11 e 12 de junho. O...

Cara-de-Bronze CORALIA ELIA
Lido 4453 vezes
Avalie este item
(1 Voto)


Depois de três anos afastado do palco, o diretor Marcos Fayad e sua Cia. Teatral Martim Cererê estão de volta.

No dia 9 de junho (quinta), o grupo estreia o espetáculo  Cara-de-bronze, no Teatro SESI,

  às 21 horas, até o dia 11.

Valbene Bezerra


Adaptação e direção de Marcos Fayad, Cara-de-bronze é baseado no conto de Guimarães Rosa, extraído do livro Corpo de Baile, publicado há 60 anos. A história se passa em um único dia dentro de um curral de ajunta de bois. Dez vaqueiros  conversam sobre o dono da fazenda, o tal Cara-de-bronze, homem poderoso e sábio como Deus, escuro e feio como o diabo, fisionomia dura,  áspera. Um enigma para todos que trabalham para ele.


 Toda a encenação é pontuada pela música do violeiro e cantador Roberto Corrêa, responsável também pela direção musical. “Cara-de-bronze é uma obra que inspira,  desperta e transforma os que entram em contato com a beleza, o tema e a linguagem de Guimarães Rosa”, afirma o diretor.  


Foram seis meses de preparação para que Cara-de-bronze  ganhasse o palco.  Intensa pesquisa sobre o universo roseano foi realizada, desde o linguajar característico do autor até o sertão poético e violento, misterioso e intrigante.  Fayad também empreendeu viagens pelos rincões de fazendas e o cerrado de Goiás para melhor conhecer o universo do autor.  “A linguagem de João Guimarães Rosa não será facilitada para melhor compreensão dos que não a conhecem, porque foi a partir  da linguagem original, muito musical, quase um idioma próprio, é que se construiu o espetáculo”, explica Fayad.


A dedicação exclusiva de diretor e atores nesse período resultou em uma grande produção. “Durante o processo de ensaios “pisamos em ovos” um bom tempo até vislumbrar o interior do sertão e caminhar em direção a ele, mundão fascinante, forjado na nossa história. Trabalhamos mergulhados nele porque o sertão nos envolve, mesmo que nenhum de nós o habite particularmente. O sertão está em toda parte”, destaca o diretor, sublinhado as palavras do criador de Cara-de-bronze.


Toda a ação do espetáculo se passa no curral de bois, que foi desenhado pelo próprio diretor, com o auxílio do marceneiro Elisemar Alves. Confeccionado em tecidos rústicos  e couro, o figurino remete às figuras míticas do sertão goiano e mineiro. Para criá-los, Fayad contou com a assessoria de Bia Castro.


Encenar a obra do autor de Grande Sertão: Veredas era um sonho antigo do diretor da Cia. Teatral Martim Cererê. Em 1999, ele dirigiu  o mesmo texto. Devido as dificuldades de patrocínio, fez apenas três apresentações no Teatro Goiânia. Desta vez, pretende ficar mais tempo em cartaz. Depois do Teatro SESI, o grupo fará outras três sessões no Teatro Goiânia.    

 




ELENCO E FICHA TÉCNICA

 

Espetáculo: Cara-de-bronze

Texto: João Guimarães Rosa

Adaptação e direção: Marcos Fayad

Cenário e Figurinos : Marcos Fayad

- Colomira –  Karla Araujo

-Vaqueiro GRIVO – Newton Murce

-Vaqueiro CICICA-  Gerhard Sullivan

-Vaqueiro ADINO –  Edimar Pereira

Vaqueiro MAINARTE – André Larô

Vaqueiro ZAZO – Saulo Dallago

Vaqueiro Mudinho – Tiago Barreto

Vaqueiro  TADEU –  Danilo Alencar

Vaqueiro SACRAMENTO –  Tarik Hermano

Vaqueiro DOIM –  Tarcisio Peris

Violeiro Denis Malaquias

Músicas e Direção Musical:  violeiro Roberto Corrêa

Produção Executiva: Um homem

Programação Visual: Josemar Callefi


FOTOS: CORALIA ELIA

 



Espetáculo: Cara-de-bronze

Texto: João Guimarães Rosa

Adaptação e direção: Marcos Fayad

Elenco: Cia. Teatral Martim Cererê

Dia: 9 a 11 de junho (quinta a sábado)

Horário: 21 horas

Local: Teatro SESI (Av. João Leite, nº 1.013, Setor Santa Genoveva. Telefone: 3269-0800), Goiânia, Goiás, Brasil

Ingressos: R$ 50 (inteira) e R$ 25 (meia). Estudantes, idosos acima de 60 anos e industriários mediante comprovação pagam meia entrada.

Última modificação em Segunda, 06 Junho 2016 09:05
Mais nesta categoria: Moleza Leveza »

Mais lidos

Ecoturismo

16 Out 2015 Turismo

Na Ponta do Nariz

06 Jun 2016 Artemania

Capoeira

04 Set 2016 Isto é Brasil

Cartas de Caio

22 Dez 2016 Livros

Cara-de-Bronze

05 Jun 2016 Programação em Goiânia

Acompanhe no Facebook

Online

Temos 34 visitantes

Add to Flipboard Magazine.