Arquipélago da Madeira

Destino exibe suas raízes em patrimônios históricos e monumentos fascinantes. // Famoso por ser um dos mais belos do mundo, o Arquipélago da Madeira é repleto ...

Suíça, de trem

Um passeio imperdível pela Suíça com o Grand Train Tour

Lan Lanh

Lan Lanh sobe aos palcos do Teatro Glaucio Gill, no Rio de Janeiro, para apresentar o show "Batuque da Lan Lanh" nos dias 2, 3, 4, 5, 9, 10, 11 e 12 de junho. O...

Preciosidades da Quasar

O que ainda guardo..., é um espetáculo essencialmente brasileiro, que tem a Bossa Nova como o som que dá ritmo aos corpos O que ainda guardo..., é um espetáculo essencialmente brasileiro, que tem a Bossa Nova como o som que dá ritmo aos corpos Marcus Camargo
Lido 136 vezes
Avalie este item
(1 Voto)

Quasar Cia de Dança volta ao palco do Teatro Goiânia, com “O que ainda guardo...” novo espetáculo comemorativo e lançando um dossiê sobre os 30 anos de sua obra.


Depois de um hiato de dois anos, companhia apresenta “O que ainda guardo...”, criado para o projeto Preciosidades Vivara, com apoio do Ministério da Cultura e da Vivara

Ana Paula Mota*

O novo espetáculo da companhia de dança goiana Quasar reacende uma chama que estava apagada. São essas as palavras de Vera Bicalho, diretora-geral da companhia, ao falar do novo espetáculo que chega aos palcos da cidade natal nesta semana, depois de dois anos de trabalho paralisado.

“O que ainda guardo...” é o espetáculo comemorativo de 30 anos da Companhia e será apresentado nos dias 26, 27 e 28 de outubro no Teatro Goiânia, sexta e sábado às 21 horas e domingo às 19h. Os ingressos custam R$ 50,00 e R$ 25,00 a meia-entrada (o desconto é válido também para quem doar um litro de óleo de cozinha).

Com clima de renovação, o novo trabalho nasce através de uma parceria com a grife de joias, Vivara. O espetáculo tem apoio do projeto Preciosidades Vivara e Ministério da Cultura. A circulação da obra é realizada pelo Prêmio Funarte de Dança Klauss Vianna 2015 e conta também com o apoio do SESC e da World Group Company (GO).

 
No dia 26 de outubro, também em comemoração aos 30 anos da Quasar, será lançado, junto ao público presente no Teatro Goiânia, um dossiê sobre a Companhia, chamado Um Corpo Celeste em Movimento. Trata-se de um levantamento histórico, memorial e afetivo sobre uma das mais importantes companhias brasileiras de dança contemporânea, destes últimos 30 anos.

O conteúdo é uma compilação de entrevistas, materiais audiovisuais e impressos, que criam um panorama da história do grupo e de sua importância identitária, cultural e artística, no Brasil e no mundo.

A coordenação desse trabalho foi de Luana Otto (Balaio Produções Culturais), que contou com os pesquisadores Hélio Fróes e Rô Cerqueira, no trabalho de campo, de coleta de informações e materiais.

O projeto foi viabilizado com recursos da Lei Estadual de Incentivo à Cultura, a Lei Goyazes, do Governo de Goiás.

 

A Bossa e a Quasar

 
O que ainda guardo..., é um espetáculo essencialmente brasileiro, que tem a Bossa Nova como o som que dá ritmo aos corpos, unindo-se às composições o talento e sagacidade que energizam os dançarinos da companhia. Por trás desse diálogo, encontramos riquezas culturais de valor inestimável.

De acordo com o coreógrafo da companhia, Henrique Rodovalho, o espetáculo ainda carrega elementos que dizem sobre os 30 anos de existência da Quasar e suas características marcantes. “Estilo do movimento, o humor e a leveza na dança. O que nos faz sermos reconhecidos e admirados até hoje por onde apresentamos”, comenta o coreógrafo.
 

Os 30 anos da Quasar coincidem com os 60 anos da Bossa Nova, temática proposta pela Vivara para esse novo espetáculo em parceria com a Companhia goiana, especialmente convidada para o projeto. A encenação, adianta Rodovalho, não guarda um relato linear.

As letras das canções de Bossa Nova foram pontos chave para que um tipo de movimento se arquitetasse entre coreógrafo e intérpretes. Os temas abordados pelos compositores, muitos deles singelos e ligados a um cotidiano ingênuo e pueril, nesta trilha sonora são cantados como se fossem conversas entre amigos.

Esta maneira coloquial de fazer poesia inspirou um tipo de movimentação que permeia toda obra. A partir daí o espetáculo foi se revelando como um diálogo provocativo e nada previsível, entre temas, canções e coreografias.

O trabalho desenvolvido pela companhia goiana atendeu as expectativas da Vivara, de acordo com a diretora de marketing. “A Vivara presenteou o público de São Paulo e Rio de Janeiro, com uma experiência única, inesperada, inesquecível”, afirma Marina Kaufman, diretora de marketing da joalheria.

 
Volta aos palcos

Para Rodovalho, a volta aos palcos com este espetáculo representa a oportunidade de mostrar que ainda há um grande desejo de continuar o trabalho conhecido e admirado no Brasil e em mais 25 países por onde já passaram. “É uma oportunidade de mostrar que a nossa dança, apesar desta pausa, continua viva, com o mesmo desejo e com a mesma qualidade reconhecida e desejada pelo nosso imenso público que nos acompanham por todos estes anos”, comenta.

 
Nas palavras de Bicalho, comemorar os 30 anos com este novo espetáculo é misto de paixão e enfrentamento. “Nos dá fôlego e a certeza de que estamos vivos”, resume a diretora. Ainda que sem patrocínio de permanência, o espetáculo impulsiona o 30º ano de vida da companhia que vai circular cinco cidades com o espetáculo. Vencedores do Prêmio Klaus Vianna, da Funarte, o novo trabalho circula por Palmas (TO), Gravataí (RS), Canoas (RS) e Brasília (DF), além de Goiânia. O espetáculo já passou pelos palcos de São Paulo e Rio de Janeiro nos últimos 22, 23 e 26 de setembro.

 

Quasar Cia de Dança comemora 30 anos apresentando “O que ainda guardo” e lançando dossiê de sua trajetória

Teatro Goiânia

26, 27 e 28 de outubro

64 minutos - Classificação: Livre
 
Sexta e sábado – 21h / Domingo – 19h

Ingressos: R$50,00 (inteira) | R$25,00 (meia-entrada)

 Venda antecipada de ingressos: Sympla.

Com desconto de 50% pela plataforma até o dia 25/10

Na bilheteria: 26, 27 e 28/10 – a partir das 14h

Com desconto de 50% para quem doar 1 litro de óleo de cozinha. Os donativos serão doados para uma creche em Goiânia.

 

Ficha técnica “O que ainda guardo...”:

Criação e Direção Coreográfica: Henrique Rodovalho - Direção de Ensaio: Valeska Gonçalves - Bailarinos: Claudionor Alves; Gabriela Leite; Gustavo Silvestre; Jey Santos; Loretta Pelosi; Marcella Landeiro; Rafael Abreu; Rafael Luz; Thaís Kuwae; Valeska Gonçalves - Figurino: Júlia Novaes; Cocriação do figurino: Ana Maria Mendonça; Execução do figurino: Criatto | Eulésia Lima; Cenário: Marcus Camargo; Desenho de Luz: Henrique Rodovalho; Operação de luz: Sérgio Galvão; Coordenação de Produção: Vera Bicalho ; Produção: Giselle Carvalho - Direção geral da Quasar Cia. de Dança: Vera Bicalho - Direção artística da Quasar Cia. de Dança: Henrique Rodovalho

 

Assessoria de imprensa: Ana Paula Mota e Nádia Junqueira

 

Última modificação em Quarta, 24 Outubro 2018 16:53

Mais lidos

Ecoturismo

16 Out 2015 Turismo

Na Ponta do Nariz

06 Jun 2016 Artemania

Capoeira

04 Set 2016 Isto é Brasil

Cartas de Caio

22 Dez 2016 Livros

Cara-de-Bronze

05 Jun 2016 Programação em Goiânia

Acompanhe no Facebook

Online

Temos 90 visitantes

Add to Flipboard Magazine.